27 dezembro, 2007

the chico tripa sound resistence






The chico tripa sound resistence é um coletivo de jecaboys radicados em hellcife, surgindo agora, se inturmando, sentido o clima, fazendo pista, e lógico, influenciados pelo bom e velho jecatron style, the jeca woodja, com a pegada FUDEROSA do nordeste.
Chico tripa estreou em Recife na ultima sexta-feira, num buteco do centro, na Rua do Sussego, das 18h às 23h, projeto semanal no Bar do Seu Biu, de discotecagem durante a birita pós trampo.

Logo na madrugada de natal Chico estripou o natal do iraq, revesando com dj´s da casa, rocks, wrocks, beats e grooves de primeira.

Esta sexta o esquema funciona simultaneamente em seu biu e Iraq, q são vizinhos. um é low-fi, outro pista.

MAS é isso ae, Chico tripa levando um pouco do jeca mojo por ae.

Representando o esquema e somando mais um grande tanto estão Wonka Jr. direto das florestas de cogumelos de são bento do sapucaÊ e Principe Gepeto o gelego paisagista do Tibé.

É isso ae jecatron no coração. Referências. Foda! Mandem bala q to mandando aqui. Naquele esquema, só pondo um som, na tranquila, sempre se divertindo.


20 dezembro, 2007

Bob Dylan no Brasil em 2008!


Bob Dylan vai fazer shows no Brasil em 2008, segundo a revista Rolling Stone e o jornal Folha de S. Paulo. Porra tem que rolar dessa vez...
...imagina? Hooow does it feeeeellll....
Claro que ainda não confirmaram data nem local....mas uma coisa é certa: dylan vai tocar no dia 15 de março aqui na vizinhança... O cantor faz show no estádio do Vélez Sársfield, em Buenos Aires, Argentina.
Eu acho que agora vai hein....podem dizer que ele ta velho e decrépito e que não vale mais um gole de pinga...sei que na hora vcs vão comichar.
Um dia cai nessa de: aaa não vou ver esses velhos do mutantes com essa tal de zélia aí...to me arrependendo até hj.

19 dezembro, 2007

disco da semana > A Roda


Uma das boas novidades da fértil cena pernambucana, o grupo A Roda nasceu num dia de 'ócio criativo', quando um grupo de amigos (músicos de bandas diferentes) resolveu 'brincar' de juntar um pouco de Herbie Hancok, Ernest Ranglin, Medeski Martin & Wood, ritmos afro-cubanos, salsa, merengue e muito 70’s funk.Desde seu nascimento oficial, em setembro de 2002, a banda não para de conquistar admiradores com seu repertório. Das ladeiras de Olinda para as concorridas noites do Bar Burburinho no Recife Antigo, a Roda manteve a naturalidade que marcou seu despretensioso início.

Release por Renata Lima/ Recbeat.

(rola no www.sombarato.blogspot.com para baixar)

Vídeo da Semana - George Clinton

Groove oitentista derretido e malandro do mestre George Clinton. Swinga!

17 dezembro, 2007

Portishead e Thom Yorke

Sim, novidades no mundo da música!!! Depois de 10 anos sem cd's em estúdio e de um bom tempo sem apresentações, o Portishead tocou em Bristol, na Inglaterra e lançou logo uma música nova!! A banda diz que seu novo álbum está previsto para abril de 2008. Estamos precisando do trip hop maravilhoso desses ingleses!! Tomara que venha logo esse cd.

E o Thom Yorke, que lançou cd solo em 2006, resolveu apavorar e mandará remixes de faixas do seu disco no site esta semana!! E quem curte Radiohead e também adora um rap, pode baixar a versão do álbum "In rainbows" (a versão de remixes não é autorizada, mas poderá ser encontrada gratuitamente na internet, assim como o cd original da banda). Batizado de “Rainydayz remixes”, este álbum conta com nomes fortes do hip hop underground, como MC Del Tha Funky Homosapien, que integra os grupos Hieroglyphics e Deltron 3030, além de Too Short e Zion. O projeto entrará no ar dia 10 de janeiro e é pilotado pelo DJ Amplive, que já trabalhou com Akon e Talib Kewli.

07 dezembro, 2007

Bom dia amigos!

A jecatown está longe de muitos jecaboys, jecagirls e jecadivas, mas estamos reanimando este blog para manter acesa a chama do Jecabit!!! Vamos fazer esse network funcionar!! Leve o Jecatron para sua cidade!! Vamos promover a revolução Jeca no Brasil, no Mundo!!!
Apesar de qualquer distância, a música, a vontade de mudar os conceitos pré-estabelecidos pela sociedade capitalista (peguei pesado) e, claro, nosso bom humor, vão trazer a nossa revolução pacífica.
Eu acredito nisso!!! Sem rótulos, sem julgamentos, sem pré-conceitos... E com muito barulho bom!!!

05 dezembro, 2007

Jecatown noturna ...

Fazendo um role por Jecatown com uma camera na mão ...


jecastation ...


até as quebradas por aqui tem um charme ...

04 dezembro, 2007

San Pedro

Pergunta:
conta a fita do san pedro
provador de cacto san pedro diz:
opaaaa
Pergunta:
foi san pedro ou mescalina?
provador de cacto san pedro diz:
mescalina rola no sao pedro
Pergunta:
não
Pergunta:
mescalina é o sintético
Pergunta:
san pedro é o cacto natural
provador de cacto san pedro diz:
é
provador de cacto san pedro diz:
foi o sao pedro
Pergunta:
de onde surgiu?
provador de cacto san pedro diz:
fui pra um sitio no sul do estado
provador de cacto san pedro diz:
e um zé droguinha apareceu com ele
provador de cacto san pedro diz:
e me ofereceu
provador de cacto san pedro diz:
esse zé ficou com a gente no sitio
Pergunta:
saquei
Pergunta:
mas esse cara cultiva?
provador de cacto san pedro diz:
não ele tem o canal de pegar
provador de cacto san pedro diz:
disse q rola angico branco, peyote
provador de cacto san pedro diz:
o cipó do daime q esqueço o nome
provador de cacto san pedro diz:
humannitas...psylos
provador de cacto san pedro diz:
realmente uma loucura
Pergunta:
tudo em recife
provador de cacto san pedro diz:
é, esse cara conhece alguem q tras pra ele
Pergunta:
do outro lado dos andes?
provador de cacto san pedro diz:
é, o cacto é dos andes
provador de cacto san pedro diz:
mas eu acho q nao foi preparado certo nao...se pa
Pergunta:
mas acho q tem uns caras q plantam aqui
provador de cacto san pedro diz:
me disseram q tem q cortar em estrela e depurar...
Pergunta:
sei
Pergunta:
tu comeu?
provador de cacto san pedro diz:
e esse cara tava com o extrato
Pergunta:
ah
Pergunta:
tipo um líquido
provador de cacto san pedro diz:
ai ele ferveu e tomou
Pergunta:
saquei
provador de cacto san pedro diz:
é, tinha pedaçoes grandes moles ainda...
Pergunta:
e aí?
provador de cacto san pedro diz:
entao foi massa, mas acredito q foi bem fraco
provador de cacto san pedro diz:
leveza total, relaxamento, umnas vertigens e umas lembranças
Pergunta:
quanto tempo isso tudo?
provador de cacto san pedro diz:
umas 5h
provador de cacto san pedro diz:
foi massa...fiquei no topo de uma cachu
provador de cacto san pedro diz:
zen
Pergunta:
depois das lembranças isso?
provador de cacto san pedro diz:
não...no decorrer
provador de cacto san pedro diz:
senti a mae natureza
provador de cacto san pedro diz:
huauhahuahuauhahuahuahuahuahua
Pergunta:
fala mais das vertigens
provador de cacto san pedro diz:
parecia uma potencialização da leveza
provador de cacto san pedro diz:
e como era um lugar alto sei la
provador de cacto san pedro diz:
as vezes dava uma tontura e fraqueza nos joelhos
Pergunta:
e as lembranças?
provador de cacto san pedro diz:
porra....
provador de cacto san pedro diz:
foda
Pergunta:
....
provador de cacto san pedro diz:
lembraças remotas sem explicação
provador de cacto san pedro diz:
parece q vc vive de novo
provador de cacto san pedro diz:
c nem mais enxerga oq ta rolando
provador de cacto san pedro diz:
vc ve cenas q rolaram
provador de cacto san pedro diz:
só q de cima
Pergunta:
tipo o q?
provador de cacto san pedro diz:
a tinha umas coisas chatas
provador de cacto san pedro diz:
e umas boas
Pergunta:
tipo?
provador de cacto san pedro diz:
tipo quando eu machuquei minha perna
provador de cacto san pedro diz:
e minha irma chegando bebê em casa pela primeira vez
Pergunta:
sei
Pergunta:
mais alguma coisa?
provador de cacto san pedro diz:
miopia
provador de cacto san pedro diz:
rolava uma miopia
provador de cacto san pedro diz:
e eu tenho hipermetropia
provador de cacto san pedro diz:
hehehehehe
Pergunta:
bizarro
provador de cacto san pedro diz:
foda
provador de cacto san pedro diz:
vista embaçada umas horas
Pergunta:
pode crer

Indie é o CARALHO! - Desabafo indieóta.

Pra começo de converda ... Indie não é estilo musical ... Indie não é estilo de vida ... Indie não é estética ... NÃO SE DEFINE NADA POR "INDIE". Indie é condição, tanto que a o maior fenômeno indie nacional é a banda Calypso e isso não é brincadeira.
Indie é um estado (não contínuo) o qual a maioria das bandas que se auto definem indie não gostariam de estar, e outras que estão cagando para rótulos e sim pra criatividade acima de tudo abraçam com muito orgulho. Indie é independencia, seja ela intelectual, criativa e não necessariamente financeira hahaha, mas enfim. Independente.
Esse termo sempre rolou por ai ... bandas independentes, festivais independentes, radios independentes, filmes independentes ... mas com a chegada do termo no Brasil, sua deturpação e "hypeagem", o termo 'banda independente' foi pra caralho! O lance agora é ser indie! E o que seria a mesma coisa, virou uma outra parada. Cabelinhos ensabados ... roupinhas de brechó (mtas vezes mais caras que uma nova), ou culto exacerbado a marcas como adidas, nike e outras tantas que passaram a ser ícones dessa cambada ... papos pseudo intelectuais ... aversões hipócritas a costumes populares (ou "pops" como preferir) ... e tudo mais que vcs estão cansados de ver por ai, criaram uma outra atmosfera em torno dessa palavra ... dando a ela uma aura completamente diferente.
Gostar de filmes é otimo ...
Gostar de musica é otimo ...
Gostar de arte é ótimo ...
Gostar de moda é ótimo ...
Gostar de pastel de queijo, ótimo também ...
Gostar daquela pimentinha que só tem na padoca do Seu Luiz, sabe? é ótimo!
Mas isso não faz ninguem especial ... muito menos indie ... Bater no peito, "sou indie" devido a gostos de desgostos pessoais transforma qualquer um em um gradioso, belissimo e super cool Indieóta.

Esse texto não sugere nenhuma solução, muito menos tem a pretensão de indicar qualquer problema nem ser nenhuma verdade ... é só um arroto. Escapa né?

03 dezembro, 2007

A coisa anda "meia" parada .... Mas só no blog!


...então para aqueles que estão por fora dos ultimos eventos ai vai um resuminho.
Começo de Novembro o jecaboy Vitão desembarcou do Jecatrain para tomar um rumo mais "vertiginoso", digamos assim. Pegou o aeroplano com destino a Recife e por la se estabeleceu junto aos mangueboys locais. E só para constar, a aeronave fez otima aterrisagem... - Um forte abraço ao comandante Siqueira e sua tripulação, é nóis. -
Com isso, sobrou a responsa para este que vos posta, juntamente do jecaboy Elder a.k.a Negão. Mas errados estavam aqueles que acharam q a chapa esfriaria ... a chapa esquentou!
O coletivo de assalto musical Jecatron Soundsystem marcou presença com DJ Sets em duas gloriosas noites para constar nos anais de seu ano e meio de historia. A primeira delas aquecendo o furdunço que foi o show do trio de Detroit The Ethernals ... (nunca encostamos os dedos em um equipo tão classe. Imagine a sensação de um motorista de kombi de feira fazendo um test-drive em uma Lamborghini ... foi mais ou menos isso.), e a segunda delas foi em São Paulo, no inferninho/garagem/cafofo Milo Garage (grande beijo a Talita q agitou tudo!) ... a duas noites foram mto classe! massa mesmo!
Mas DJ Sets a parte ... 2 ataques públicos ja rolaram no Coreto, com Jecatron montando seu soundsystem ao ar livre no melhor estilo blockparty (pra quem pensa que estou falando da banda, ta errado! vai pesquisar e se informar rapá! ta marcando bobeira ... hahaha), e outro ataque, agora no famigerado ponto de encontro b.boy taubateano, o Monumento (mini-obelisco de frente para a antiga Radio Difusora, que com certeza não está firmado em nenhum ponto de nenhuma linha de Ley. Não entendeu? Pesquisaaaa) está sendo planejado e maiores iformações estão por vir.
Bom, é isso. O próximo DJ Set será na mais do que hypeada e obrigatoria festa ZEROZERO, onde vai rolar o encontro de mais de 12 atrações locais entre bandas e DJs ... essa promete. Dia 14 de dezembro, no Deluxe (do lado do posto Actasa). Quem viver verá....

Pra fechar fica um foto da ultima apresentação com o agora recifenho Vitao.
Abraços

13 novembro, 2007

01 novembro, 2007






Na próxima quinta-feira o Jecatron Sound System ataca com estilo.Tire o seu melhor tênis da caixa e dance no ritmo do Groove, Rocks and Beats.

Line-up
Jecatron Sound System(tté)
Luis Simonetti a.k.a. Kabelo(tté)
Bodes e Elefantes(SP)
The Eternals(EUA)

29 outubro, 2007

Você já assistiu "Alta Fidelidade"? Baseado no livro homônimo de Nick Hornby, o filme conta a narrativa de Rob (John Cusack), dono de uma loja de discos, que tenta entender porquê nunca consegue ter um relacionamento duradouro com suas namoradas. No meio dessa história, muita música, piadas inteligentes e Top Lists. O diretor é o Stephen Frears, o mesmo de "Ligações perigosas".

Mas eu só falei disso tudo porque resolvi pegar carona nessa de Top List e fazer uma lista dos meus 5 cd's gringos favoritos. Tive que pensar muito, pois não é fácil escolher os cinco melhores entre todos que já ouvi. Tenho certeza que ano que vem essa lista muda...

Pra começar:


5. Back to Black - Amy Winehouse (2006)
A inglesinha junkie vem conquistando milhares de fãs ao redor do mundo, esse jeitão de largada, a voz de diva e todo um potencial pra marcar história na música. Entre as faixas que mais gosto está "You know I'm no good", com uma pegada bem anos 70, cheia de metais. O cd todo é muito bem feito. Recomendo!

4. Franz Ferdinand - Franz Ferdinand (2004)
Os escoceses fizeram sucesso com esse álbum, cheio de hits e músicas super dançantes. O que eu acho mais interessante é que eles meio que fogem do 'brit pop' e fazem um rock mais psicodélico, com o vocal mais grave e com letras fáceis de decorar. A minha música preferida é "This fire".

3. The Singles 1992-2003 - No Doubt (2003)
Sou suspeita pra falar de No Doubt, eu amo essa banda desde que me entendo por gente hahaha. Esse cd é muito bom pra entender a transição de ska para pop que a banda sofreu. Cheio de sucessos, é ótimo pra tocar numa festinha nostálgica, ouvindo "Don't speak" você lembra da 'Malhação' na época do Dado, Magali, Mocotó... Enfim, eu amo esse cd!!! Todas as faixas são fodas, mas a que eu mais ouço é "Hella good", que é bem pop, tem uma batida ótima e dá pra dançar bastante!

2. Stankonia - Outkast (2000)
Este foi o cd que mostrou a força do rap da costa leste americana para o mundo inteiro. Antes a dupla era apenas conhecida nos EUA, depois o hit "So fresh, so clean" era cantado nos 4 cantos do mundo. Dançante e com uma pegada gangsta em algumas faixas, Stankonia é um dos albuns cruciais para um apreciador de bom rap. A faixa que eu mais curto é "B.O.B.".

1. Ill Communication - Beastie Boys (1994)
A banda mais foda e flexível que eu conheço. Eles mandam bem no rap, no rock e no instrumental. Este cd tem toda a gama de talentos do trio nova iorquino. Por isso é o meu álbum favorito, não tem muito o que falar, é Beastie Boys, né? Recomendo "Get it together".




É isso aí jecamigos, em breve um top 5 nacional!! Fiquem a vontade pra comentar e mostrar suas top lists também!!!

Inté!!

16 outubro, 2007

neste sabado estreando: JECA FLAG! há! segura!

JECATRON ATACA NO CORETO


Largue tudo sábado a tarde e corra pro coreto!
JECATRON SOUNDSYSTEM animará a tarde do próximo pacato sábado em Jecatown com seu ja famigerado rock, groove & beats. E grátis! Chame a tia, o primo, vizinho, irmão, cunhado e o síndico! Peque uma canga, cadeira de praia e sinta-se em casa! O coreto é nosso!!
A bagunça acontece nesse sábado (dia 20) às 15h, no Coreto da praça da rodoviária velha (em frente a facul de Direito).
Yeah!

29 junho, 2007

Ataques Públicos



Gente que atravessa a cidade
Fazendo musica que penetra ouvidos
criando quimica que atravessa as pessoas
gerando fisica que modifica as ruas!

Bora aos ataques públicos!!!

29 maio, 2007

Proximo Ataque.Jecatron Sound System



Como ja é de costume, o mês de junho não iria ser diferente. Dia 2 de junho, primeiro sabado do mês, rola o 9 ataque do Jecatron Sound System no Casarão, com grooves, beats e rocks. Prepare-se pra escutar, em alto e bom som, a boa música.

Música pra quem tem algo entre as orelhas --
diversão consciente (utilize sua ATENÇÃO PLENA)
no ÚNICO lugar utópico experimental na Jécatown pra quem recusa o lixo cultural: o Casarão do Inferno!

Sala de Zine....Pixxarte
Discotecagem:
Chico Moreno
Johny Batatinha
Eustácio DeLorean

casarão das artes: rua dr. souza alves, 853. centro, jecatown - sp
entrada: 10$ (5 consuma) + sua alma.
GET YOURSELF TOGHETER, e vai tranquiiiiiiiiiiiilo!

20 maio, 2007

Depoimento Jeca-Analítico

A cada interação pessoal e observação analítica (sedenta por uma "grande descoberta vivencial") sinto que, com sorte, ainda levarei alguns anos para entender em profundidade valores, percepções e principalmente a dinâmica do conhecimento acumulado, sendo capaz de trazer uma solução para "problemas latentes e já enraizados" da nossa Aldeia.

Numa simples observação, o que é constatado geralmente está no nível da superficialidade. O aspecto analítico, como o nome sugere, prevê análise do ambiente, levando em consideração os elementos constantemente mutáveis, influenciados e influenciantes, o que permite estímulo das sinapses nervosas em prol da acumulação positiva do conhecimento.
Acredito que levarei anos porque me falta conhecimento para entender o conhecimento, experiência (ou "expertise") para avaliar as diferentes percepções e poder de análise para identificar e reconhecer razões, problemas, vantagens, agentes...

Mas não significa, no entanto, que não o tente desde já. É como fazer um desenho com giz de cera no pré-primário e chamá-lo de "obra-prima". Você sabe que não o é, mas é o melhor que tens. Agora.

Minha mais nova obra-prima foi o "desenho" dos frutos de meus atos profissionais num contexto altamente inflamável. Sei que usei do poder da sedução para tornar uma marca desejável. Sei que estimulei a individualidade em detrimento da análise do todo. Sei que evidenciei a superficialidade ao invés de promover o pensar, o conhecimento (que tanto prezo).

Muito além de só saber, senti.
Senti cinestesicamente cada olhar curiosamente feroz da individualidade e do "poder", tentando me consumir como outro produto de 'status quo'.
"Senti o mar se abrir", e me cercar, não me permitindo andar em linha reta.
Andei em círculos e colhi cada favorecedor do modelo de pensamento vigente na Terra da Gente. Só gente e gente-jeca.

Colhi a invasão, o status, o ego, a super-valorização do capital e a superficialidade.

Cada pedra indigesta foi saboreada durante os 60 minutos mais longos que me recordo, ao toque suave de canapés e champagne.

A dicotomia extremamente acentuada, e visível, entre o eu pensante, sonhador, jovem, empreendedor, esperançoso e o eu publicitária, tecnicamente capaz, criativa, eficiente, mais uma vez promove angústia e põe em dúvida o caminho atual, novamente.

Mas, como é confortável e útil pensar que estou sempre disposta e apta a aprender, seja na positividade ou negatividade, tirei uma boa lição desta última colheita.
Ao invés de me preocupar com a pequeneza daqueles que me ofereceram pedras (tiradas da parede que eu mesma ergui, por sinal) comecei a analisar alguns valores gerais/genéricos (beleza, bem estar, qualidade), tendo como público-alvo (fonte do ponto de vista) eu mesma.

Conclui, então,que devia retirar da estante de troféus, todos aqueles ganhos, profissionalmente merecidos, por "grandes" mensagens que apenas reforçaram o modelo mesquinho de pensamento. No lugar, deixei papéis em branco e giz de cera.

Minhas obras-primas feitas de giz de cera me mostraram que neste mundinho de esfera municipal, aqueles-gente vivenconsomem, como se fosse um mesmo processo contínuo, numa mesma palavra. Já os gente-jecas sabemquenãosabemmasestãoprocurandoentendervivendoeinteragindo para com os mundos possíveis para o amanhã, numa palavra coletiva.

Nesse ponto, orgulhosamente concluí que posso me considerar uma Jeca-Diva.


manoh
12/05/07, na aula de pós

19 maio, 2007


Nesse instante, casas históricas do patrimônio de taubaté estão sendo dilaceradas.
Por uma péssima politica do planejamento urbano
e péssimos profissionais no comando.

Onde lojas de 1,99 ocupam espaços de edificios
em ruas centrais
eu vou andando a pé

lojas de 1,99 dominam o espaço e edificios
nas ruas centrais
de taubaté (eu vou mandendo a fé)

tem o som pós contemporâneo dos ciganos urbanos
e carrocerias perdidas de seres engaiolados
vontades vendidas por comerciantes calados
realidades construídas em condomínios verticalizados (coletivos lotados)

écleticos, neoclassicos neogóticos
art deco e modernistas simpáticos

estéticos, neo classicos e psicóticos
art noveau, minimalistas, neuróticos!


(Lojas de 1,99 - Mulé da Muleta)


17 maio, 2007

vídeo da Mule da Muleta no dia 13 de maio



Como todos ja sabem, dia 13 de maio ( dia da abolição da escravatura ), rolou "o" evento do coletivo da Jecatown ,representando esse dia da melhor maneira possivel, FAZENDO ALGO!
A Mule da Muleta mandou muito bem e pelo o que todos viram, esses jecaboys não estão enferrujados.Com um som de prima animaram a galera, que queria mais e mais!
Parabéns a todos que contribuiram e compareceram ao evento!

15 maio, 2007

TREZE/errata

*quem encerrou o evento foi o grupo de maracatu BAQUE DO VALE e não o batuque de quinta.

14 maio, 2007

acervo fotográfico

www.flickr.com/photos/jecabit

TREZE

foi bonito de ver a praça cheia até o fim do evento ontem.
-arrastão do batuque de quinta + bragança paulista + são bento foi bem loco, não sei se saiu zuado o som pq tava la no meio, preocupado só em não errar, tinha uma porrada de tambor, foi bem loco!
-jecatron sempre aí pro que precisar, dando uma força animou a galera com grooves e samba rocks
-joão mauro tem boas letras não é? fez até um improviso lá, aí o moçambique entrou
-moçambique massa
- e caraaalho, mulé da muleta. não lembrava o quanto era bom e agora ta melhor. vacilei e perdi a grande entrada, mas disseram q foi muito nevoso, cortejo saindo de traz do fórum, máscaras (q ficaram nevosas) e o matuto no megafone, bem loco. tá todo mundo mandando muito bem, as letras tão fodas, presença de palco, tudo muito coeso....banda de verdade. destaques pro solinho de baixo q foi sensacional, e alguns momentos de piração de alfaia.
- batuque de quinta encerrando com tudo. ta bem loco, toda vez q eu vejo tem algum batuque novo muito nervoso e bom....é bom...primeira vez q eu vi a corte toda do baque...bem massa

teve até o tainã, q subiu lá e falou sobre o pq do dia...
povo na praça, curtindo um som, total tranquilo. queremos mais.

08 maio, 2007

Jecatron ATTACK na praça






****JSS ATTACK***


PRAÇA DA ELETRO


13 DE MAIO - 2007


DIA DA ABOLIÇÃO


+MULÉDAMULETA


+BAQUEDOVALE


+BATUQUEDEQUINTA


+CONGADAJÉCA


+MOÇAMBIQUEJÉCA


#####18H#########


26 abril, 2007

Manifesto número dois

Chegamos ao limiar do tempo, a ilusão mais fortemente arraigada à cultura humana. Só nos resta agora encarar a realidade. O objetivo: consolidar uma cena local não-comercial que possibilite a sobrevivência dos indivíduos. Existe aí porém um paradoxo ideológico: somos radicalmente contra a sociedade de trabalho e de consumo.

O volume e a velocidade da produção mundial de bens atinge níveis sem precedentes na história, numa crescente desde a revolução industrial. Há um excedente monstruoso e ainda assim a população de miseráveis é gigantesca. Previa-se anteriormente que com o uso das máquinas em grande escala o homem teria mais tempo livre para o auto-aperfeiçoamento. Acontece que os trabalhadores em geral não sabem o que fazer com seu tempo livre, e acabam desperdiçando-o e legitimando assim sua própria exploração.

Como bem aproveitar o tempo? “Conhece a ti mesmo”, diz a frase mais expressiva da cultura grega. Há que se conhecer em profundidade, contudo. É um esforço constante e contínuo que não permite descanso, mas só assim o homem pode desenvolver seu potencial verdadeiro. O jogo está apenas começando.

22 abril, 2007

A VÉIA VEM AÍ

por ifi!

Para compor o cenário musical da taubatéia desvairada,


temos o regresso da banda mulé da muleta no próximo 13 de maio, dia da abolição da escravatura.


A banda teve suas origens com um grupo de amigos estudantes de arquitetura em meados de 2000, influênciados pela onda do movimento mangue-beat e toda a invasão da rica cultura nordestina que se deu a partir da figura de Chico-Science.
A proposta é misturar os ritmos regionais brasileiros enfatizando a cultura popular e o cotidiano urbano, utilizando sempre o velho rock'n roll entre diversas outras influências.


O resultado é algo sem rótulo, sem uma identidade "classificavel"

O jeito é conferir!

13/05 - 17:00
Praça da Elétro
Taubaté / SP

19 abril, 2007

Jecatron Soundsystem de volta nesse sábado, no sapatinho.


Após os rocks e wrocks e eletros que botaram jecaboys e jecagirls para chacoalhar no ultimo sábado, na Zero Zero, Jecatron Soundsystem aparece novamente pra te tirar de casa no próximo sábado a noite, só no swing. Com grooves finos, samba-rocks, dubs, free jazzes & hot brazillian music, dog!

Rola no Tipuana (ao lado do Taubaté Village, em frente ao shopping), a Universo Tatto Party, e estamos bem acompanhados:

-Jécatron Soundsystem
-Dj Kabelo (drum´n´bass de primeira)
-Banda L.A.M.A.
-Banda Soul Black

entrada:
jecaboys:10$
jecagirl:5$

RUA: Av. CHARLES SCHNNEIDER N.1579 TAUBATÉ – SP
(NA FRENTE DO TAUBATÉ SHOPPING)

mais uma realização Outromundo Marketing Cultural
...with a lotta woojja going on!

12 abril, 2007

O fio de Teseu

Convém pensar no conceito de cidadania. Qual a sua origem?

A educação, dentro de um contexto amplo de sociedade, visa a cidadania.

01

De volta à educação

Não há lugar perfeito no mundo.
Até porque não há educação global. Solução?!

Não é cabível pensamentos que auto-destruam saídas. Até porque nos falta consciência e conhecimento "em e para'' educação.
O que questiono é a importância, clara e óbvia, de educarmos a sociedade para viver em sociedade, num contexto de equilíbrio social, de criarmos novas metodologias de ensino, vivenciais e permeadas pela noção global. Somos todos cidadãos do mundo, pelo menos no papel.

Se há suicídios, se há consumismo, é porque há educação (ensinar a) nesse sentido.
E a publicidade é uma poderosa aliada. Ela reflete pensamentos e re-alimenta esses pensamentos.
Educar é mostrar caminhos. A questão é, educar para quê? Por quê?

Diz respeito a uma mudança na forma de pensar. Nos valores, nas crenças e na postura perante a vida.
Afinal, educar é prepar para a vida, só nos resta saber, qual.

De volta à educação

Não há lugar perfeito no mundo.
Até porque não há educação global. Solução?!

Não é cabível pensamentos que auto-destruam saídas. Até porque nos falta consciência e conhecimento "em e para'' educação.
O que questiono é a importância, clara e óbvia, de educarmos a sociedade para viver em sociedade, num contexto de equilíbrio social, de criarmos novas metodologias de ensino, vivenciais e permeadas pela noção global. Somos todos cidadãos do mundo, pelo menos no papel.

Se há suicídios, se há consumismo, é porque há educação (ensinar a) nesse sentido.
E a publicidade é uma poderosa aliada. Ela reflete pensamentos e re-alimenta esses pensamentos.
Educar é mostrar caminhos. A questão é, educar para quê? Por quê?

Diz respeito a uma mudança na forma de pensar. Nos valores, nas crenças e na postura perante a vida.
Afinal, educar é prepar para a vida, só nos resta saber, qual.

Urbigenas de Plantão

11 abril, 2007

Nota ou observação

As esperanças ficam de fora daquele lugar cheio de boas intenções. O único conhecimento que importa é o que advém da experiência. A taxa de suicídio na Finlândia é altíssima, e eles têm diversas palavras para diversos tons de neve (além de um salário desemprego sorridente, é claro, e suporte governamental ao cidadão). Na China a Revolução Comunista acabou com os registros da sabedoria ancestral: na Ásia consome-se tanto ou mais quanto no ocidente. O contexto é definitivamente mundial, não há como voltar atrás. Ações locais são apenas paleativas. A solução?

02

Educação Política

A educação é a forma de buscar soluções para problemas que o achismo não é capaz de resolver; que a ignorância só os piora e que a burrice enobrece.

A política é a noção de convivío social, de forma que cada indivíduo é cidadão consciente e sabe que sua vida social é composta de direitos e deveres. Está relacionada a auto-gestão e gestão do todo.

Claro, só existe, dessa forma, a partir da educação.
Minhas definições.

Como definir é uma questão de bagagem cultural, e definir política hoje, é muito mais uma questão de perspectiva de futuro e noção de coletividade, abre-se caminho para a discussão do que elas (política e educação) DEVERIAM ser.
E não o que fizemos e fazemos na prática com elas.

Dados:
A Filândia é o país de maior IDH do mundo (Índice de Desenvolvimento Humano), mais educado do mundo, e tem o MENOR ÍNDICE DE CORRUPÇÃO do MUNDO.
Certamente os políticos e educadores têm uma outra definição para educação e política.
E colocam em prática.


+ manoh +

Definições

EDUCAÇÃO, s. Aquilo que revela ao sábio e disfarça para o tolo sua falta de entendimento.

POLÍTICA, s. Uma disputa de interesses mascarada como um debate de princípios. A condução dos assuntos públicos para vantagem privada.

Ambrose Bierce, O Dicionário do Diabo.

09 abril, 2007

04

Estreiando, Matutando, Abalando... Em busca do Gerundando!

Estreiando no blog, já aviso para que vim. Matutar.Como comunicadora, de nada vale matutar sozinha. Se não contar para ninguém, não se comunica, não se persuade, não se promove a mudança.Alías, acredito que este é o propósito maior: promover mudanças.


Como já disse nosso amigo 'no star', através do Gabriel, O Pensador: "Ninguém cura esse país se num acabarmos com a censura que me lembra".

... matutemos ...


Não é segredo que nós, cidadãos do mundo, mas com aquele "jeitinho brasileiro" não fomos nem educados, nem instruídos para a consciência política(1), não sabemos nos organizar em prol da harmonia coletiva. Se nem nos organizar somos capazes, que dirá pensar(2), isto é associar idéias e formar linhas de raciocínio lógico - para nós, simplesmente matutar - de maneira a "trazer soluções" em busca do equilíbrio social.


Não fomos. Mas há tempo.

Faltará força de vontade? Interesse?

Faltará fosfato no cérebro a fim de promover associações nesse sentido?Talvez tudo isso junto.
É certo que já existem atitudes nesse sentido. Muitas, mas falta então o senso de transformar ações em campanhas do coletivo, e não somente de grupos, como vemos.


Retomando ao Pensador.

Não nos basta falar de censura, muito além dela vejo uma grande falta de foco e conhecimento prático para mudança. Qual nosso (enquanto grupo que se propõe coletivo) foco? Divulgar que é necessário 'despertar' para uma 'consciência' crítica? Ou seria oferecer caminhos para esse despertar? Sabemos (e convivemos) do problema, mas e a solução? Matutar...


"Eles não censuram o povão

Pior do que acordar calado é acordar sem pão

(Paiê cadê o pão?

Foi censurado

Paiê cadê o leite?

Foi censurado

Paiê o quê que é carne hein?)

Essa é a censura na panela de um descamisado"


Você que lê, assim como quem escreve, tem responsabilidade sobre a ignorância, inconsciência e apatia do "povão", pois teve alguns meios de desenvolver o senso critíco, e não prosseguiu com esse aprendizado, para si, e para os próximos. Não retro-alimentou a sociedade.


Como pedir para que aqueles que vivem abaixo da "zona de pobreza" (como isso pode fazer sentido?? E pior, ser real???) importem-se com o senso crítico se estão aquém das necessidades MÍNIMAS?Compete a nós, matutar... "abalar".


"Mas também não não pense que o Brasil já foi pra frente

Pois como sempre ele está no mesmo lugar

E sempre estará se você não acordar

Se a gente não se julga inteligente o suficiente pra mudar

Seria melhor se suicidar

Mas na verdade esse momento é de nascimento

(É a hora H) Não vamos nos alienar

Olhe pro seu lado e veja como o povo está"


O Brasil está no mesmo lugar.E você? Progrediu? Produziu? Teve reconhecimento profissional?E o que devolveu para a sociedade? A manutenção do modelo de pensamento capitalista e individualista?

"Fique atento não se esqueça a gente abala quando quer"


Essa é a minha mensagem a todos os matutos. O nós, somos nós mesmos, aqueles nominhos ali, do lado esquerdo da página.
Façamos. Para que no próximo post, possamos dizer que estamos fazendo, produzindo, crescendo, plantando, colhendo, mantendo, mudando. E esse fazer não envolve "divulgar", mas uma etapa anterior a ela: Estudar.


Sugiro leituras que associem subeducação e subdesenvolvimento.

"Seja um cidadão"

SEJA.


(1) política: por dicionário Michaelis

po.lí.ti.casf (gr politiké) 1 Arte ou ciência de governar. 2 Arte ou ciência da organização, direção e administração de nações ou Estados. 3 Aplicação desta arte nos negócios internos da nação (política interna) ou nos negócios externos (política externa). 4 Orientação ou métodos políticos: Política de campanário. 5 Arte ou vocação de guiar ou influenciar o modo de governo pela organização de um partido, influenciação da opinião pública, aliciação de eleitores etc. 6 Prática ou profissão de conduzir negócios políticos. 7 Conjunto dos princípios ou opiniões políticas. 8 Astúcia, maquiavelismo. 9 Cerimônia, cortesia, urbanidade. P. de campanário: a que só vê os interesses locais. P. econômica: teoria e prática da direção econômica de um país. P. de boa vizinhança: política caracterizada pelo princípio de amizade, cooperação e não-interferência nos negócios internos de outro país, principalmente país vizinho. P. social: conjunto dos princípios e medidas postos em prática por instituições governamentais e outras, para a solução de certos problemas sociais.

(2) pensar: por dicionário Michaelis

pen.sar(lat pensare, freq de pendere) vint 1 Combinar idéias, formar pensamentos: "Apesar disso, acho que deve pensar um bocado" (Monteiro Lobato). vti 2 Meditar, refletir em: "Pensei no que reza o livro do profeta" (Alexandre Herculano). Pensai sobre a vaidade dos homens. vint 3 Ser de tal ou qual parecer: Nós não pensamos como vós. vtd e vti 4 Ter na mente; lembrar-se: Você não pensa o que fala. Já ninguém pensa nesse desastre. vtd 5 Julgar, supor: Pensei que custava mais barato! O que você pensa de tal atitude? vint 6 Raciocinar: Convém pensar antes de falar. vti 7 Fazer tensão: "Gomes enfezou. Não pensava em arredar pé dali!" (Francisco Marins). vtd 8 Delinear mentalmente; meditar, planejar: Ela pensou bem o seu romance. vti 9 Estar preocupado, ter cuidado: Só pensa em sua moléstia. Pensar na morte da bezerra: estar alheado, distraído, pensativo; meditar tristemente.



+ manoh +

06 abril, 2007

Abalando

Abalando
Gabriel, O Pensador (1993)



Gabriel o Pensador o homem que eles amam odiar
Agora voltou para, Hrm, Hrm, tentar falar
Isso é se ningém quiser me censurar me calar
(Manera rapaz, da última vez eles te tiraram do ar)
Não eu não consegui acreditar nisso
Mas não vâmo esqucer e nem permanecer omissos
Num caso que diz respeito ao direito de um cidadao
De carregar no peito a sua liberdade de expressão
Liberdade de expressão aqui? Ha, não existe
Eu fiz "Hoje eu tô feliz" e fiquei triste
Pois já não posso mais nem sair em paz
Os fdp confundem artistas com marginais
Mas eu não sou um marginal, isso é um grande erro
Sou apenas um artista como todo brasileiro
E o meu erro dizer o que não devia
Acreditei que existia o quê: (Democracia...)
Então eu disse simplesmente o que o povo sente
Mas fui covardemente censurado pelo ("Minha gente!")
E a vontade que me dá, não me venha perguntar
Eu vou falar. A vontade que me dá é de matar
É uma loucura!
Ninguém cura esse país se num acabarmos com a censura que me lembra a ditadura militar
(Cale-se! Cuidado!)
(Como é dificil acordar calado)
Eles não censuram o povão
Pior do que acordar calado é acordar sem pão
(Paiê cadê o pão?
Foi censurado
Paiê cadê o leite?
Foi censurado
Paiê o quê que é carne hein?)
Essa é a censura na panela de um descamisado
(Paiê cadê o ovo?
Foi censurado
Paiê cadê o arroz?
Foi censurado porra!
Pai tem feijão?
Não, toma essa água suja com farinha e num reclama pra num ser processado)
E a diversão era um futebol inocente
(Quero perder de vez sua cabeça)
"Então eu vi um pessoal nema pelada diferente
Jogando futebol com a cabeça do Presidente"
(Cale-se) O povo unido outra vez foi vencido
Pediu pra ouvir meu rap mas não foi atendido
(Ué mas não existe mais censura no Brasil)
Amigo vai nessa que tu tá é fud...
E foi só uma cabeça que caiu
Nem demos a primeira então não vâmo sair decima ouviu?

Vem! A gente abala quando quer
A gente abala se quiser
Vem! A gente abala quando quer
A gente abala se quiser

Porque o Pensador veio falar do que passou
Eu te digo: Não se lembre do passado e o teu futuro será escuro
Não se esqueça o que passamos há tantos anos
Procure a luz, mete o dedo na ferida viva a vida, limpa o pus
E conduz o pensamento para o tempo que quiser
Fique atento não se esqueça a gente abala quando quer
(Agora que lembramos um passado recente
Vamos falar do presente.
E daqui pra frente?)
Não vamos nos intimidar
Chega de ser prego
É melhor ser o martelo rapá!
Mas também não não pense que o Brasil já foi pra frente
Pois como sempre ele está no mesmo lugar
E sempre estará se você não acordar
Se a gente não se julga inteligente o suficiente pra mudar
Seria melhor se suicidar
Mas na verdade esse momento é de nascimento
(É a hora H) Não vamos nos alienar
Olhe pro seu lado e veja como o povo está
(A arte é de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
E que fé será se não for a fé em nós mesmos pô
(Isso aí Pensador)
"Get up Stand up" Você não veio ao mundo à toa
E se veio fazer algo faça alguma coisa boa
O que tá errado (tudo)
Deve ser mudado
Abalando as estruturas com o Pensador
(Tô ligado!)
Eu tô falando de uma reformulação
Que começa na cabeça e vai passando pelo coração
Se voçê tem cabeça e coração
Não seja um vegetal
Seja um cidadão
(É geração cara pintada?)
Não. Jovens em geral
Caras pretas, coroas, pessoas, malucos e caretas
(Entrem nessa união) Não seja um imbecil meu irmão
Põe a mão na cabeça, pára pra pensar
Nós Temos o poder de abalar...
(Tá na hora, vamô lá!)

(Refrão)

ZER0 ZER0 - FESTIVAL INDEPENDENTE




Se a Jécatown é um microcomputador, ZER0ZER0 é um processador novo. Fruto de uma idéia megalomaníaca insana, ZER0ZER0 é um evento que visa integrar as diversas tribos da pequena urbe. Contará com atrações variadas, de banda ruradélica a djs de drum'n'bass: Supercordas, a grande sensação da cena brasileira, The Bullet Trio, rock de Jacareí, Jécatron Soundsystem, Freestyle da casa, dj Marnel, Drum and Bass de São Paulo, e dj Kabelo, encerrando a noite.


Sexta-feira 13 / ABRIL 22h00 R$ 10 / 15 (NA PORTA) LOCAL: Galpão3110 RUA: TRAVESSA JUSCELINO KUBITSCHEK N.3110 TAUBATÉ - SP REALIZAÇÃO: OUTROMUNDO MARKETING CULTURAL INFO: (12) 3622.2763 Taubaté-sp

04 abril, 2007

:: THE VAIN 2007

Shows! UHUUU

:: 06/04 (esta sexta)
The Vain + Zuruó @ Big Point
Estrada Rodolfo Bona, 700 - bairro Chácara Nova Vida
(estrada velha pra Pinda, embaixo do viaduto, saindo da Gurilândia)

22h
Entrada GRÁTIS



:: 21/04
The Vain @ Hocus Pocus
Rua Paraibuna, 838 - Jd. São Dimas
(atrás da UNESP, entrada pela lateral, rua Maria Francisca Froes)
São José dos Campos, SP
Entrada a R$ 10.



:: 22/04
The Vain e Elegia @ Chopperia Óbvio
Rua Prudente De Moraes, 222, Centro
Pindaíba, SP
18h
Entrada a R$4.

31 março, 2007

Taubaté & Pinda estão para Sodoma & Gomorra assim como o Vale do Paraíba está para o Vale de Sidim (o Mar Morto).

28 fevereiro, 2007

Jecatron Soundsystem x7


Balada pomada com música brega?! Fala sério... Se jogue na pista ao som do Jécatron Soundsystem -- e deguste o melhor da contracultura!
O próximo ataque do Jécatron Soundsystem no Casarão das Artes fará tremer todo o Vale do Paraíba e marcará mais um passo no plano de distorção da realidade proposto pelos jécaboys e jécagirls. A aurora de um novo mundo se aproxima, e o Jécatron Soundsystem vai destruir o velho, para dar seqüência ao ciclo da eternidade. Na famigerada Sala de Zines, o som minimalista do pioneiro Steve Reich. Proteja-se.
Direitos iguais? Ok! agora jécaboys e jecagirls pagam o mesmo preço> R$10,00 (5 consuma)..não chora mina! (vcs bebem mais 2 reais de qualquer jeito).
Rola no casarão das artes (R. Dr. Souza Alves, 853, centro), como de costume.

26 fevereiro, 2007

Fiz merda ...

Então ... fiz alguma merda e o PNG nao ficou transparente.

agora vai um jpg mesmo.

foi mal!!!

Pitacos, preferências e opções. TAG MATUTO.

Seguinte,
abracei a causa de elaborar o logo/tag Matuto, coletivo taubateano que englobará outros coletivos e "causadores solo" hahaha, e que por sinal o JECATRON fará parte. Enfim. Pensando de forma minimalista elaborei essas 3 opções de logo/tag e jogo na roda para que a escolha seja mais democrática. Levei em conta a simplicidade, que facilita o reconhecimento rápido das pessoas e principalmente ajuda pra caraaaaaaaalho na hora de fazer um stencil!!!

Ta ai ... deixem comentários.

25 fevereiro, 2007

24h PARTY PEOPLE



Nos últimos anos, a sétima arte tem produzido filmes que andam fazendo a alegria da maioria dos fãs de música. Velvet Goldmine em 1998, Quase Famosos e Alta Fidelidade em 2000, Hedwig em 2001. Agora é a vez do aguardado A festa nunca termina (24 Hour Party People, de Michael Winterbottom - Reino Unido, 2002).

Lançado na Europa em 2002, o longa chegou às telas brasileiras via festival de cinema do Rio e Mostra Internacional de São Paulo e entrou em circuito em 2003.

A Festa nunca termina conta, através dos estranhos olhos de Tony Wilson (interpretado pelo ótimo comediante Steve Coogan), a história de como a cena conhecia como "Madchester" foi criada. Para isso, eles voltam até o final da década de 70, durante o primeiro show dos Sex Pistol em Manchester, no norte da Inglaterra. Mesmo com pouca gente na platéia, Wilson, um criativo apresentador da TV local, percebe que o evento iria desencadear algo muito interessante por ali. E não demora muito para ele despertar o potencial de algumas bandas locais e abrir uma gravadora, a "Factory Records".

Todo filmado com cameras digitais, 24 Hour Party People beira o formato de um documentário e concentra esforços em três acontecimentos, a ascensão do Joy Division, a loucura do Happy Mondays e a euforia e o declínio do club Haçienda.

O título do filme é tirado de uma música do álbum de estréia do Happy Mondays, que é muito longo para eu escrever aqui. O New Order gravou uma música especialmente para a trilha sonora: Here To Stay foi lançada como single. O clube Haçienda acabou fechando por dar prejuízo. Todo mundo estava tão animado com ecstasy que ninguém consumia bebidas alcoólicas.

24H Party People estréia essa noite, as 18h em "Mad-jécatown", no nosso Haçienda, o Casarão das Artes (R. Dr. Souza Alves, 853), contando ainda com uma canja do Jécatron Soundsystem e Dj Kabelo.

20 fevereiro, 2007

Matuto/bit

Vivemos em uma época em que realidade e ficção se confundem. Os meios de comunicação de massa chegaram a um alcance tal que as pessoas os vêem como parte da natureza. A esquizofrenia midiática contamina e permeia o inconsciente coletivo: o zumbido agudo da televisão perfura o cérebro. O monstruoso filho da civilização européia faz birra mas já é contra-atacado. Aconchegue-se e acompanhe os próximos episódios.

17 fevereiro, 2007

O que é a verdade...

A discusão sobre a verdade é uma coisa sem fim e sem fronteiras, a verdade está muito além do que as pessoas pensam...

08 fevereiro, 2007

movimentalização


Quem é que observa quem
Por Felipe Rezende

O olho vê a vitrine
O ouvido ouve a propaganda
A vontade vem.

Um moleque pede um trocado,
Fico desconfiado.

Etiquetas rotulam a pele,
out-doors bloqueiam olhares,

A cidade se esconde privada
em publicidades.

A rua já não serve ao passeio.
Transitam ilustres em regras mecanicas.

Circulo entre abrigados e obrigados.

os investimentos de alguns
definem as venstimentas dos outros!

05 fevereiro, 2007

deserto vampiro

A poesia fenece nesta terra maldita
Grita o vale no silêncio da morte
Não floresce, não nasce, séca, morre

O desespero do poeta cala a garganta
Anda na confusão a gente perdida
A harmonia não existe na noite escura

Desejos e enganos se alastram pelos campos
O grotesco reina absoluto e sozinho
Pois aqui a única beleza é ilusória.

matuto nation


o sexto ataque do jécatron surpreendeu. achamos q foi pouco divulgado, q o pessoal tava desanimado, mas eis que a galera firmeza apareceu e da pista não saiu. e o som foi até o sol raiar.
de tropicália à clássicos da phaeton, o jécatron ferveu com a galera até o ultimo " desliga"!! da dona da casa. vlw todo mundo.


como visto no texto publicado abaixo pelo ifi, jécatown tbm começa a receber seus stickers. a freirinha lançou seu sorriso em alguns pontos da cidade.

a idéia a reunir vcs jecaboys e jecagirls para começarmos a causação organizada de arte de rua.

04 fevereiro, 2007

RUAS SÃO VIAS E VIAS SÃO VEIAS

Texto cedido pelos camaradas do SHN
Fotos por ifi!

Papel colado na rua

A arte de rua ilegal ou não , não é novidade em nenhum grande centro urbano do mundo.
Dentre tantas formas de intervenções artísticas existentes nas cidades, estas destacam-se hoje (pela sua mobilidade, sua fácil produção e aplicação no meio) os stickers (etiquetas adesiva) e posters (cartazes)que talvez sejam uma prática surgida há pouco por aqui, e que tem ganhado força nesses últimos tempos nos meios de comunicação alternativa ou nao.


Essa forma de inserção no meio urbano normalmente usado pela indústria da propaganda e da comunicação visual de forma até habitual, encontra uma brecha e se insere de forma de contra cultura estabelecendo diferentes interpretações entre diferentess idéias , é fato que a arte em papéis adesivos ja ocupe o seu espaço em grandes cidades. As vezes ate como um complemento do graffiti, mas diferente deste, também atribui uma mensagem ao paisagem e ao “mobiliário” urbano (como lixeiras, postes, caixas de telefone, paredes,etc.)


Outra carcterística desse trabalho de “colar papel na rua” (cartazes e adesivos) é o contato direto com a alta e baixa tecnologia. Fazendo uso dos correios tradicionais (pois muito material é trocado nacional e internacionalmente), assim é comum a troca de arte impressa via carteiro. E enquanto o material em si é trasportado de um lugar para o outro por esse meio , via internet muitos contatos são agilizados aproximando vários artistas através de sites pessoais, de grupos e até de coletivos de grupos que se identificam por registros (fotos) desse material colado nas ruas.

De certa forma, podemos atribuir à Shepard Fairey a repentina divulgação e popularizaçao dessa nova maneira de se praticar a arte na rua. Fairey, ultilizando –se desde métodos de colador de lambe-lambe até a fenomenologia, saturou várias cidades norte americanas e européias com seus cartazes que traz a figura em alto contraste do lutador de luta-livre André Giant com o alias Obey Giant. Esta imagem reproduzida em postêrs e stickers já é um clássico da cultura de rua, do design e ate da forma de se fazer propaganda de um certo produto ou serviço em um certo meio.

Com a forma intensiva de divulgação Fairey hoje tem seu estúdio em Los Angeles (USA) chamado Black Market e pode-se dizer que graças à sua iniciativa independe dirige um dos mais prestigiados escritórios de design dos EUA.

Em São Paulo, a arte em forma de papel colado pelas ruas já vem sido produzida há um bom tempo por prestigiados grafiteiros como: Os Gêmeos, Onesto, Zezão, Ciro, Boleta, Cobal, Flip e Sesper, etc,. Apesar disso, os stickers sempre foram feitos um a um, a caneta,marcadores e na


maioria das vezes apenas tendo uma assinatura ou o “tag” como imagem.com o tempo, começaram surgir cartazes e etiquetas impressos nas mais variadas formas, de xerox à serigrafia, rodado em gràficas ou à mão, mas diferente dos anteriores, agora trazendo desenhos e/ou mensagens mais elaboradas que apenas uma assinatura à la “my name is...”

Hoje existem uma série de pessoas e grupos que cada dia mais aproveitam da rua como suporte para sua arte de colar seja essa intervenção feita a mão ou em diferentes formas de impressao e diferentes tipos de materiais, como exemplo : Ozzob, Muxi_Muxi, Fat Louiz, Marmita, Kurru, nrg , Calma, whip, Asa, Cruz , Fefê Talavera , Projeto Chã, sesper , shn, em São Paulo, João Lelo, Rafo Castro e 86 no Rio de Janeiro, e Khristo e onio em Goiânia e brasília e Yellow Dog e xerel em BH, isso pra ficar apenas em alguns exemplos.
Alem disso essa propagação de arte de rua em larga escala geram serviços, produtos e consumidores nesse sentido, para isso existem quatro lojas na cidade que já vendem arte em pôster e sticker de rua. Na Grapixo (Galeria do Rock, centro) você encontra etiquetas


importadas do Obey , marcadores, tintas , revistas , etc, na Most (Galeria Ouro Fino, jardins)alem de revistas, vídeos e acessórios dos mais diversos ainda vendem stickers feitos por Sesper, Flip,shn etc. e na Choque Cultural (rua João Moura, pinheiros) pode-se encontrar versões impressas em pôsters/gravuras trabalho de artistas de rua e de tatuagem, com séries de Zezão, Cobal, Speto e Boleta. Há ainda a loja pioneira da cidade em venda de artigos para graffiti que é a THC (Galeria do Rock, centro) que vende stickers mais tradicionais como “meu nome é...” meu pseudo é...” aos modos dos que se usa em corporações para identificação de visitantes, em palestras, dinâmicas de grupo etc.

Para ser ter uma idéia da força disso no mundo hoje de forma que já se estabelece na sociedade como uma cultura ou contra-cultura, a arte em stickers e posters, tem no exterior diversos sites que dão uma ótima noção do panorama da produção de arte de rua no mundo. O site Sticker Nation e Wooster Collective (ambos dos EUA) são os que reunem a maioria dos arquivos referênciais sobre o assunto. Há ainda o Stick it da holanda que é um blog de notícias, o Streetstickers no Reino Unido, o Stickerwar e ainda o Stickerswitch que é um site a favor do


contato entre as pessoas que produzem esse tipo de arte e que fazem intercâmbio de material e informações específicas pelo mundo.

Entre os artistas gringos podemos citar aqui alguns à título de exemplo, em Londres (Inglaterra) Mjar, nos EUA (São Francisco) DAve, na França Huhuhu, em Amsterdam Sekers e na Escócia Jet Pac e Sleepy Valley, etc.




A discussão se os stickers são arte ou não, se são vandalismo ou desobediência civil, se é bacana ou não, prefiro nao ressaltar aqui. O intuito do artigo foi descrever o que é e algumas pessoas que fazem isso aqui em são Paulo, no Brasil e no mundo alem de apresentar uma outra maneira de troca de informação no meio urbano. apesar dos cartazes e etiquetas não serem novidade eles estão hoje ocupando um espaço que antes era ate meio que inexistente dentro da nossa vasta cultura popular de adaptação do espaço

links

Sobre arte em sticker

stickit - www.stickit.nl
stickernation - www.stickernation.net
stickerwar - www.stickerwar.net
stickerswitch - www.stickerswitch.com
streetstickers - www.streetstickers.co.uk
wooster collective - www.woostercollective.com

SHN é um grupo de intervenção urbana
www.fotolog.net/shn - barrashn@uol.com.br

ifi! - www.fotolog.net/ifiopoeta

30 janeiro, 2007

2007 CHAPA QUENTE !

com vcs, o primeiro ataque...Então ... com o retorno dos jeca.boys e jeca.girls a essa terra maldita, JECATRON SOUNDSYSTEM prepara a nova sequência de ataques.Como ja de costume todo primeiro sabado do mês, encontro JECATRÔNICO no Casarão das Artes (centro taubateano). Descontração e música boa com alto teor alcoólico para dançar até a Dadi mandar parar. hahahaha ... só biscoito fino.Sendo assim ... Dia 03/FEV, as 23hs, rocks, grooves e beats de primeiríssima qualidade abalarão as estruturas do casarão e provavelmente irritarão a vizinhança (eles não sabem oq perdem). Luís Moreno, Cassimiro Leite, Jackson Filho e Chico Mineiro fazem a noite ... prepare-se.

28 janeiro, 2007

terra sem lei

O Parque Três Marias está para a Jécatown assim como Belford Roxo está para o estado do Rio.
"Quem diz estado ou direto político,diz força,autoridade predominância; isto supõe a desigualdade de fato. qando todos governarem,ninguem é governado,e não existe portanto estado." Bakunin
To be, or not to be,--that is the question:--
Whether 'tis nobler in the mind to suffer
The slings and arrows of outrageous fortune
Or to take arms against a sea of troubles,
And by opposing end them?--To die,--to sleep,--
No more; and by a sleep to say we end
The heartache, and the thousand natural shocks
That flesh is heir to,--'tis a consummation
Devoutly to be wish'd. To die,--to sleep;--
To sleep! perchance to dream:--ay, there's the rub;
For in that sleep of death what dreams may come,
When we have shuffled off this mortal coil,
Must give us pause: there's the respect
That makes calamity of so long life;
For who would bear the whips and scorns of time,
The oppressor's wrong, the proud man's contumely,
The pangs of despis'd love, the law's delay,
The insolence of office, and the spurns
That patient merit of the unworthy takes,
When he himself might his quietus make
With a bare bodkin? who would these fardels bear,
To grunt and sweat under a weary life,
But that the dread of something after death,--
The undiscover'd country, from whose bourn
No traveller returns,--puzzles the will,
And makes us rather bear those ills we have
Than fly to others that we know not of?
Thus conscience does make cowards of us all;
And thus the native hue of resolution
Is sicklied o'er with the pale cast of thought;
And enterprises of great pith and moment,
With this regard, their currents turn awry,
And lose the name of action.

Hamlet, Prince of Denmark.

" meio e mensagem "


O mato,

a meta,

o mito,

o mote,

o mute,

do aparelho ligado!

(ifi!)

www.fotolog.net/ifiopoeta

17 janeiro, 2007

urbe jéca

Umberto Eco redigiu em algum momento do século passado uma teoria que dividia as pessoas em apocalípticos e integrados. Nunca fui pesquisar a fundo o que vêm a designar essas denominações, mas imagino com alguma base que os apocalípticos vêem as tecnologias e a difusão da cultura de massa como destrutivos à arte e à tradição, nivelando a produção por baixo, em favor do comércio, promovendo uma visão acrítica e superficial do mundo ao transformar a arte em produto, enquanto os integrados se empolgam com as possibilidades da modernidade e a democratização da alta cultura. Pessimistas e otimistas, a grosso modo. Hoje, em plena pós-contemporaneidade, percebe-se que essas posições são duas faces da mesma moeda e não atingem a essência da questão. Mas alguém ainda se lembra qual é a questão?

16 janeiro, 2007

"urbe"

Por Felipe Rezende

A cidade em si vira palco da passagem/paisagem.
O espaço urbano, descaracterizado de seu objetivo principal, que era ser próprio a vida cotidiana, se encontra congestionado e fica sujeito ao desgaste do tempo. O tempo insere camadas de valores ao espaço de maneira sobreposta rompendo muitas vezes sua identidade original A essência disso é que a cidade se torna um fenômeno eternamente mutante.
Já na década de 50 e 60 houve um incentivo muito grande às tecnologias de estruturas espaciais de grande porte, que permitiam certa mobilidade, ou a própria transportabilidade. Dentre essas foram desenvolvidas a arquitetura pneumática e estruturas tênsil, além da utilização de contêineres pré-fabricados. Pensava-se a implantação interplanetária desse tipo de arquitetura. O grupo Archigran, que fazia experiências e propostas sobre estruturas espaciais leves, e até de cidades inteiras itinerantes, chegou a postular 8 diretrizes para os projetos que o arquiteto do futuro viria a se defrontar.
Proposições de futuro elaboradas para nortear o projeto Walk

City do grupo Archigran

1. O futuro será mais rápido
2. terá um entorno orientado para o consumo
3. deverá ser confortável
4. o futuro estará personalizado
5. responderá as nossas expectativas de maneira mais suave
6. oferecerá novidades
7. será mais plausível (mutável)
8. estará onde e quando lhe descobrirem


Na década de 1960, Lewis Munford, em seu livro ”A Cidade na História” preconizava os sistemas informacionais com o nome das cidades invisíveis, formadas por populações que se interligam a partir de diversas partes do globo, integradas por uma rede eletrônica.(MUNFORD, 0000) Pierre Levy é outro dos autores que se dedica à análise do impacto das novas tecnologias da informação e sua interação no cotidiano humano (LEVY, 1993).
Apresenta-se aqui, um terceiro desdobramento do conceito de virtual e do caráter da interferência proposta, que é a utilização de mídias eletrônicas de propagação das imagens em tempo real para as apresentações, utilizando a tele-comunicação. Essa combinação dos diferentes meios de comunicação, redesenham a geografia urbana na medida que funcionam como extensão da cidade física, onde o produto, aqui cultural, atinge um outro público, localizado em ambiente privado, e que navega pela rede de computadores.

Nesse ambiente, o ambiente virtual, a intervenção permaneceria à disposição dos consulentes (internautas) em tempo real e como documentação, prolongando seu alcance no espaço e no tempo. Neste sentido a rede (internet) representa uma alternativa de interação do indivíduo com a produção cultural 24 horas por dia.

12 janeiro, 2007

Cultura x Natureza

por Felipe Rezende:

O homem, animal que mais tem a capacidade de transformar o mundo ao seu redor para atender suas necessidades, foi ao longo da história moldando sua cultura, seus hábitos e comportamentos que, em resposta às dificuldades do meio, lhe permitiram uma vida mais confortável.
A cultura é nossa forma de encarar a vida, como olhamos e como vemos, no que pensamos quando projetamos nossos pensamentos ao ambiente, nossos reflexos e reflexões, experiências vividas desde nossos ancestrais e transmitidos como tradições a cada geração.Tais tradições consistem em ideologias experimentadas e aceitas por grupos sociais, propagadas para que possam perpetuar no espaço.
Elas garantem a continuidade dos sistemas conquistados, das organizações estabelecidas.Quando pensamos em construir nosso espaço nos dedicamos a observar o máximo de exemplos a nossa volta, de maneira a perceber o que nos agrada. Sendo frutos das influencias passadas, temos uma tendência natural a seguir tradições culturais.De repente cultura e natureza se fundem em uma mistura de vontades e necessidades, possibilidades e desejos. O que significa que somos frutos de um paradoxo onde o artificial se repete naturalmente.
Será então que quando tomamos uma decisão estamos agindo por conta própria ou há determinações externas à nossa vontade?A produção arquitetônica - e com ela o desenvolvimento das cidades, o que representa toda uma ordem social - está sujeita a influências marcantes de fatores repetidos muitas vezes pela ausência de questionamento e a vontade da inovação, fundamentada nos caminhos que o futuro indica. Podemos ver através do desenvolvimento biológico e tecnológico novos horizontes aos quais estamos rumando.
Novas lógicas de organização do espaço estão por desencadear uma vida mais rápida, com maior fluência e justa, mas continuamos a repetir velhas formas para construção do espaço.Por isso, quando procuramos um profissional para a realização de nosso sonho devemos nos assegurar de que ele tem responsabilidade suficiente para nos manter atualizados das novas tendências de organização do espaço sabendo traduzir nossos desejos em satisfação. Mas também devemos, algumas vezes, abrir mão de certas tradições, sendo que estas podem evoluir e melhorar de acordo com formas mais atuais.

02 janeiro, 2007

Com Tradição ???

Atelier Coletivo - Dept. Arq. e Urb. Unitau

Essa imagem é de um pintor e desenhista chamado Belmonte, ele ilustrou o famoso Jecatatu criado por Monteiro Lobato e interpretado depois por mazzaropi...

quando fiz essa intervenção, haviam acabado de pintar o departamento todo de branco, apagando as inumeras pinturas e expressões coletivas que haviam alí a pelo menos uns 5 anos

era entre 00/01...

tá lá até hoje!
A questão não é manter a tradição da imagem no espaço, mas sim a do ato de fazer e refazer de cada imagem, um ato de expressão que se projete de maneira coletiva sobre o espaço. Uma imagem inserida sobre a outra cria uma dimensão histórica explicita e simultaneamente estética. O que havia ali, agora dá lugar a outro significado, criando um processo sinestésico.
tecnica: xerox sobre transparência sobre projeção de luz, carvão sobre parede

A tradição se contradiz a cada segundo!