11 maio, 2008

E um dia as coisas se ajeitam, não quer dizer que serão como você quer, elas simplesmente encontram seus lugares. Estar desconfortável não é nenhum defeito. Se sentir assim em qualquer ambiente é aceitável, mas as pessoas não admitem isso.
Hoje uma aluna da escola de dança em que eu trabalho me deu um texto... Ela percebeu meu descontentamento em trabalhar todo domingo, inclusive o das mães, com a minha mãe longe, tão longe que não dá nem pra lembrar (comprei um presente, mas era do tamanho errado, a mamãe idealizada era mais magrinha). Ah, segue o texto que veio assinado por Millôr Fernandes (mas não sei se é mesmo):
"A mensagem é simples. Se você já perdeu um dedo, ou é estéril, mais feio do que gostaria, menos alto do que o permissível, explorado pelo sistema, envolvido por amarguras, não tem o suficiente ou tem excesso de insuficiências, se espera e nunca alcança, se alcança o que você não espera, se vem quando não quer e parte quando mais ama, se tudo que reluz não é ouro e a vida não está ao seu alcance é porque você alcançou a vida. Que é, desde sempre, um projeto fracassado. Cada um paga seu preço. Contente-se se o seu não é alto.Só uma coisa é certa. No fim o bandido morre, E o mocinho também. E toda a platéia."

Um comentário:

victordilorenzo disse...

meu deus vo cortar meus pulsos depois dessa! sensa!