24 junho, 2008

A sombra da massa

A sombra da massa constitui-se das pessoas que a sociedade em geral recusa-se a encarar: presos, criminosos, loucos, delinqüentes, drogados, alcoólatras, mendigos, etc: párias sociais ou marginais, em suma. Do mesmo modo que sentimentos escondidos de si próprio podem emergir no corpo na forma de uma doença chamada psicossomática, essa parcela da sociedade pode apresentar sintomas no quadro social geral de forma atemorizante para a população que se baseia no status quo vigente e orientada, em um nível mais grosseiro e superficial, pela mídia. E isso gera uma reação de auto-encarceramento e isolamento, similar ao processo histórico de feudalização. Há que se encarar a sombra para prosseguir adiante, mas esse é um processo doloroso e difícil, pelo qual as pessoas de modo geral não estão dispostas a passar. E isso é também verdadeiro no nível individual que, talvez por influência do pensamento contemporâneo desta era mais individualista que a história já viu, parece ser o único âmbito possível e pertinente de ação.

Um comentário:

mota disse...

Legal este texto... Pra quem quiser se aprofundar no conceito de sombra, leia Jung, mais especificamente "O Eu e o Inconsciente"...

Abraços!!!