01 março, 2011

Revolta

Ao lado da linha do trem,
À beira da rodovia interestadual,
Na estrada de terra.
O jéca observa.
Calado.
Em silêncio.
Com sua barriga.
E taca fogo no mato.
E fica olhando o fogo
Espalhando as cinzas pelas casas.

2 comentários:

fr33think3r disse...

muito loco, saulo!

Eduardo Morari disse...

muito bom Saulo, foi ao som de John Dunstable? hehe